Portal Jornal do Brás - A serviço das Tradições da Região

Domingo, 23 de janeiro de 2022
MENU

Saúde

Aniversário de 68 anos da Distrital Mooca é celebrado com palestra do CEO do Grupo São Cristovão Saúde

Aniversário de 68 anos da Distrital Mooca é celebrado com palestra do CEO do Grupo São Cristovão Saúde falando sobre a Pandemia e Novo Normal

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Asolenidade de comemoração do aniversário de 68 anos de existência da distrital Mooca contou com as presenças do 2º. vice presidente da Associação Comercial de SP João Bico, o diretor superintendente da distrital Juraci José Pereira, o palestrante do evento e vice presidente da Associação Comercial de SP, o eng.

Valdir Pereira Ventura, CEO do grupo de saúde São Cristovão e demais autoridades da associação comercial e empresários da região. Na palestra magna da noite o CEO do grupo São Cristovão, eng Valdir Ventura falou sobre o tema “A Pandemia e o Novo Normal e as lições que ficam”.

Destacou que o grupo São Cristovão de saúde com 110 anos, promoveu extensa modernização e expansão de sua estrutura físico e tecnológica, investindo em equipamentos, certificações e profissionais qualificados. A expansão da capacidade de internação do hospital e maternidade São Cristovão ampliou o número de leitos para 302 e somou milhares de consultas e atendimentos, para as quase 160 mil vidas atendidas pelo plano de saúde São Cristovão, destacou o CEO. Falando sobre “A Pandemia e o novo normal”, o cenário inicial era de tristeza com hospitais cheios, número elevado de óbitos, de ruas e comércio fechados, novo padrão de consumo voltado para a internet.

Informações descentralizadas com uso constante da informação online. A saúde que antes era presencial, passou a ser digital. No São Cristovão a saúde digital hoje está implementada em todos os setores, destacou Valdir Ventura.

O grupo durante a pandemia teve que se reinventar. Houve a necessidade de adequação em todos os aspectos e os desafios foram múltiplos. Houve falta de suprimentos hospitalares pelos fornecedores. Os valores dos insumos foram destorcidos e houve falta de profissionais de saúde para atender a explosão da demanda. Neste cenário o grupo São Cristovão de Saúde fez centenas de novas contratações para garantir o atendimento e não dispensar nenhum funcionário durante os períodos mais críticos da pandemia, explicou Ventura. Comitês de gestão foram formados para gerenciar a crise.

Ventura explicou que foram criados os comitês de gestão de crise propriamente dito, o comitê de day after (lições aprendidas na crise) o comitê de acolhimento e o comitê de inteligência e optimização de recursos, que se reúne todos os dias das 8:30 as 11:30, com todas as áreas da instituição, para análises de todos os dados e propor soluções colaborativas. O comitê de crise está alicerçado em 4 grandes pilares, como informou o CEO, que são: proteção dos colaboradores, cuidar dos beneficiários, garantir suprimentos, preparar as estruturas covid e não covid e ações diárias. Todas essas ações otimizaram o gerenciamento macro de todas as áreas, proporcionando máxima eficiência no atendimento dos pacientes.

Ventura disse que no pico da pandemia “tínhamos em torno de 300 pacientes com covid internados e hoje meados de novembro, temos a grata satisfação de anunciar que estamos com zero casos”. O comitê de Day After (dia seguinte) implementou 74 iniciativas envolvendo todos os setores que ajudoumuito a seguir em frente. Houve modernização na hotelaria, hospitalidade virtual, proporcionando contato do paciente com seus familiares pela internet, através do contato virtual.

Houve também ações na melhoria dos processos focando 24 áreas da instituição, com redução de desperdícios e melhores processos. O acolhimento, destacou o eng. Ventura, é um item essencial e tem destaque para o São Cristovão, porque “todos nós um dia seremos pacientes e como é que gostaríamos de sermos atendidos”.

O crescimento da estrutura se deu pela verticalização dos procedimentos com  maior complexidade, sendo que hoje o São Cristovão atende cerca de 1000 cirurgias mês e executa mais de 3 milhões de exames por ano. Várias novas alas foram inauguradas ou remodeladas, com destaque para a nova ala da Unidade de Apoio Respiratório (UAR), inaugurada recentemente Falando da parte da estrutura física dos prédios, houve crescimento com a verticalização e procedimentos de maior complexidade.

A tecnologia de informação contribuiu para a automação de processos. A farmácia hospitalar hoje, relatou Ventura, provavelmente é a mais automatizada do Brasil. Várias outras iniciativas também foram tomadas, como a modernização do departamento de transplante de medula óssea. O pronto socorro também ganhou novos leitos. Houve investimento na ampliação da clínica de vacinação.

O hospital São Cristovão também criou sala de parto humanizado com inauguração prevista para este mês de dezembro. Foram muitas ações e o trabalho foi intenso.

Além disso a área administrativa não foi esquecida e foi inaugurado o edifício do IEP, Instituto de Ensino e Pesquisa Dona Cica, para congregar toda a área administrativa.

A boa notícia é que mais de 60% da população já está imunizada com 2 doses davacina e a tendencia é de que os novos casos agravados com internamento em UTI sejam reduzidos. Os efeitos do covid, porém irão persistir, porque já há mais de 50 efeitos de longo prazo mapeados decorrentes da infecção e que deverão ser tratados e acompanhados, explicou Valdir Ventura. Nesse cenário tão desafiador o Centro de Saúde São Cristovão está cada vez mais empenhado em oferecer o melhor serviço de saúde a seus assegurados utilizando todas as ferramentas de ponta e tecnologia, nesse enfrentamento.

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!